segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Como a baixa autoestima atrapalha seu sucesso!

Uma das crenças mais nocivas para o ser humano é ele crer não ser merecedor de algo.
Quando não temos consciência que temos essa crença ou ideia, a mesma pode fazer um estrago em nossas vidas de forma inconsciente.
Desde crianças aprendemos que temos de ser humildes, mas acabamos nos confundindo e achando que desejar o melhor que a vida pode nos oferecer, não é para nós.
Um exemplo: se eu creio que não sou merecedora de ser bem remunerada pelo meu trabalho, pois me comparo com outras pessoas e penso que não tenho os requisitos necessários, pode ter certeza que irei ganhar uma remuneração mínima, totalmente compatível com minha crença de não merecimento.
O processo ocorre assim: se eu acredito lá no meu interior que não mereço o melhor, vou ter comportamentos compatíveis com essa crença limitadora. Provavelmente eu não vou me esforçar o suficiente para me qualificar, vou começar a me autossabotar no trabalho e quando eu me der conta, o mesmo não renderá, as boas ideias não virão e assim por diante. Conclusão: irei receber o que acho que mereço; ou seja; o mínimo. Consequentemente isso afetará a minha autoestima.
Esse post é um alerta para que vocês prestem atenção nas ideias que vocês possuem sobre seus trabalhos, seus relacionamentos, suas vidas. Essas crenças podem estar atrapalhando suas realizações e o caminho para superação passa pelo questionamento das crenças limitadoras, observando se as mesmas são baseadas na realidade, ou serão frutos de algo que você aprendeu e nem questiona se pode ser compreendido de forma diferente.
Converse com as pessoas ao seu redor que não possuem as mesmas dificuldades que você e que estão se realizando. Não é para você se comparar, mas sim para compreender como ela pensa esse setor da vida dela. Conversar com alguém que não possui a mesma crença limitadora pode ajudar no questionamento e mudança da sua.
Caso você não consiga fazer isso sozinho ou com a ajuda daqueles que te rodeiam, então considere buscar ajuda de um profissional (psicólogo).
Grande abraço! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário