segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Aceite sua vida e permita-se ser feliz! (Por Luiz Gasparetto)

A depressão é um mal que aprisiona, e sair dela depende só de você! Então, proponho este exercício de libertação. Se puder, coloque uma música suave e feche os olhos. Comece se livrando das coisas depressivas que há dentro de você. Enxergue que essa é apenas uma parte sua – e não você por inteira.

Agora repita: “Eu vivo a vida viva com os desafios que ela me traz. Eu não sou vítima da situação. Eu assumo minha coragem! Assumo minha vontade e necessidade de me colocar pra cima.

Expresso os sentimentos como eles são. Deixo que as pessoas cuidem dos próprios problemas, e eu assumo os meus. Não espero nada de ninguém. Eu posso me colocar para cima, lembrando que a vida tem poderes ocultos que sempre entram em meu caminho. Sou livre para gozar tudo ao meu redor. Deixo minha curiosidade avançar até onde ela quer. Eu decido ter humor, ser engraçada, não levar as coisas tão a sério. Claro, posso encará-las seriamente, mas sorrindo sempre. Jogo fora a mágoa, a tristeza, os desapontamentos e as desilusões. Tiro a importância de tudo isso: a vida continuou mesmo assim!”.

Às vezes, no começo, você pode se sentir atrapalhada, parece até que está forçando a barra. Mas é isso mesmo! É preciso forçar um pouquinho para dar o impulso e continuar até que o motor esquente. Assim, você desperta em si o ânimo e a alegria que dormiam, o humor que estava escondido, a criatividade, a curiosidade, a liberdade e seus verdadeiros objetivos. Jogue para dentro de si essa sensação gostosa:

“Eu aceito! E sem brigar comigo. Aceito até que viajei pela depressão. Fiz o que fiz por achar que era o melhor, mas agora vejo claramente que não é mais o melhor para mim. Aceito que não sou tão corajosa, coerente ou perfeita como gostaria de ser. Aceito meus erros e acertos. Aceito ser como sou, diferente dos outros, pois essa é a minha viagem. Aceito minha vida com o que eu criei e as pessoas que atraí.

Aceito que muitos não vão me entender nem gostar de mim, mas tudo bem. Aceito também a possibilidade de mudar, renovar e, assim, me abro para crescer. Quando eu me aceito, me dou toda força e toda coragem, sem jamais me cansar. Eu passo por tudo. Tudo eu supero. E continuo sempre firme!

Nenhum comentário:

Postar um comentário