terça-feira, 12 de março de 2013

Ansiedade profissional

Acesse: http://psiquecienciaevida.uol.com.br/ESPS/Edicoes/84/artigo277234-3.asp e leia mais do ótimo artigo de Andreia Calçada:

Ansiedade profissional: normal ou paralisante?
A ansiedade é uma emoção normal, combustível para a busca de crescimento pessoal e profissional. Mas, quando é acionada incessantemente, o organismo entra em colapso, podendo até provocar o surgimento de psicopatologias


A insegurança em relação às próprias habilidades e o medo de não conseguir cumprir as tarefas do cargo são asmaiores fontes de ansiedade profissional



Limites no trabalhoÉ importante que o funcionário tenha claro seus limites e busque realizar o máximo que pode, deixando de lado o perfeccionismo que o faz buscar limites irrealistas para a efetivação de seu trabalho. A sensação de que o que faz nunca é bom o suficiente, e de que alguma crítica aterradora virá, gera altos níveis de ansiedade. Caso esteja nessa situação, sem que consiga racionalizar os pensamentos, a sugestão que os especialistas dão é a de pedir ajuda e opinião externas. Saber lidar com a crítica é treinamento importante, sabendo ouvir bem, como reconhecer falhas e qualidades. Procurar os dados de realidades na ocorrência dos fatos é sempre o melhor caminho para buscar soluções. Ser justo, portanto, tanto com o outro como consigo mesmo é uma boa forma de colocar a cabeça no travesseiro e dormir tranquilo.
As profissões com maior nível de responsabilidade decisória e riscos, além do estabelecimento de metas, são aquelas que geram maiores níveis de ansiedade. Para conviver bem com a ansiedade e usá-la a favor do crescimento e bom desempenho profissional é fundamental que antes de tudo tenha-se claro que o trabalho “é uma parte importante da vida e não a vida como um todo”. Não pode tomar conta de todas as relações que envolvem a vida de uma pessoa. Ela deve aprender a limitar tal interferência mesmo que para isso precise estabelecer como objetivo a mudança de área ou empresa.
O status que um bom cargo ou promoção fornecem, bem como as boas sensações e o poder que advêm de um cargo, muitas vezes “sobe à cabeça”, deixando o indivíduo escravo destes. Torna uma pessoa reduzida ao ser gerente, diretor ou engenheiro, fazendo-o esquecer de coisas simples, levando à cobrança da perfeição para que não perca a essência da conquista realizada. Para que isso não aconteça, é importante que outros prazeres, além do trabalho, sejam mantidos, que os relacionamentos sejam cultivados, ampliando os diálogos e as ideias. A criatividade deve ser estimulada na busca de alternativas de vida mais saudáveis caso o trabalho seja um motivo real para a ansiedade. Buscar cultivar o bom humor é algo fundamental para esse gerenciamento.

A ajuda psicoterapêutica, e por vezes medicamentosa, pode ser grande aliada na busca desse equilíbrio

A realização de atividades físicas é recomendação médica nesse controle. Buscar olhar as dificuldades por outros ângulos é fundamental. Caso seja difícil realizar tal intento sem ajuda, a busca de um especialista é recomendada. A ajuda psicoterapêutica, e por vezes medicamentosa, pode ser grande aliada na busca desse equilíbrio.

Fonte: Revista Psique - Ciência e Vida


Nenhum comentário:

Postar um comentário