sexta-feira, 19 de outubro de 2012

QUANDO AGRADAR AOS OUTROS É A MELHOR ESCOLHA? VEJA NESSA PEQUENA HISTÓRIA UMA REFLEXÃO SOBRE A QUESTÃO

Havia um rei que tinha um ego muito inflado, era extremamente vaidoso. Mandou, então, construir em seu reino, uma estátua sua. Pediu que um de seus criados buscasse as primeiras três pessoas que ele visse na rua e assim foi feito.

O rei queria que os 3 venerassem a sua estátua como se fosse um 
Deus. Eles eram: um intectual, um sacerdote do reino e um mendigo. A ordem era clara: ou veneravam a estátua ou eles morreriam.

O intelectual pensou: "esse rei é louco, mas como sou cético, é melhor eu me ajoelhar diante da estátua, pois assim não morrerei devido a loucura dele". E assim o intelectual fez.

O sacerdote pensou: " o rei está louco, mas como eu tenho o meu Deus e nada abala minha fé nele, posso muito bem adorar esta estátua para agradar ao rei e não morrer"

O mendigo disse ao rei: Eu não vou adorar esta estátua! Por ser mendigo eu não tenho muito a perder, se Vossa Magestade quiser me matar, tudo bem. Pelo menos não perco a única coisa que tenho: minha dignidade.

O rei ficou mexido com as palavras do mendigo. Decidiu então não matá-lo, derrubar a estátua e montar um belo jardim em seu lugar.

(baseado em uma das histórias do livro: " As histórias que me ensinaram a viver" de Jorge Bucay" )

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

O que você gostaria que fosse escrito em seu túmulo?



Você deve estar pensando "mas que pergunta fúnebre é essa?" ou "eu tenho de pensar na vida e não na morte". Porém, penso que este é um exercício essencial para verificarmos se estamos vivendo de acordo com o que acreditamos ser realmente importante.

Pense um pouco: o que você gostaria que estive escrito no seu túmulo? Como você gostaria de ser lembrado pelas pessoas que ama? Que mensagem você gostaria de deixar? Pensando na resposta você pode tentar identificar o que mais dá sentido a sua vida.

Afinal, se você anda por aí empurrando sua própria vida com barriga, sobrevivendo ao invés de viver, ou simplesmente perdeu o contato com a sua alma, com o que lhe dá vida, provavelmente terá certa dificuldade para responder essa pergunta. 

Pense que a resposta tem de ser algo que seja extremamente importante para você e que você adoraria ter realizado ou vivido de acordo com este valor em vida.

A ótima notícia é que se você está lendo este texto é porque ainda não morreu e pode muito bem executar as ações necessárias para viver de acordo com seus valores mais preciosos. Pense nisso!