terça-feira, 12 de junho de 2012

Medo de tomar decisões

De acordo com Lourdes Possato (2010), o indeciso é um cobrador, que muitas vezes não decide por medo de errar, de fracassar. 

Na clínica observo que o medo de tomar decisões realmente está ligado a uma crença de que não se pode falhar, pois o erro seria uma espécie de prova da incapacidade do sujeito.

Na minha opinião, o indeciso é aquele que não quer perder nada, pois toda decisão implica em ganhos e perdas, vantagens e desvantagens. O sujeito quer o controle total das situações e não quer lidar com a frustração de, ao decidir, perder algo.

Ele esquece que, não decidir, também é uma escolha, que possui consequências. O problema da indecisão é a angústia que ela traz. 

O indeciso precisa perceber que a vida é feita também de perdas, não dá para ganhar ou acertar o tempo todo. Penso que, aceitando este fato da vida, fica muito mais fácil lidar com decisões.

Possato ressalta que pessoas indecisas geralmente possuem históricos emocionais que dificultaram o desenvolvimento da autoconfiança e não foram treinadas para serem seus próprios pontos de referência. 

No meu entendimento estes sujeitos podem ter tido pais ou figuras de cuidado equivalentes que não davam autonomia à criança ou adolescente, o que prejudicou o desenvolvimento de um sensação de que são capazes de tomar suas decisões e lidar com as consequências das mesmas. 

O medo extremo de tomar decisões pode fazer com que a pessoa postergue por tempo indefinido decisões que poderiam ser tomadas para melhorar a qualidade de vida das mesmas. Neste caso, é importante refletir, como bem lembra a Lourdes, as desvantagens de não decidir e, se for o caso, procurar auxílio.

(Baseado no livro "Medos, Fobias e Pânicos de Lourdes Possato, Editora Lumem, 2010).

9 comentários:

  1. Muito interessante o artigo, valeu a pena ler!

    ResponderExcluir
  2. Esse artigo, é muito bom, parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Muito bom este texto, descreve bem a atual situação que eu passo, sempre procrastinando desde pequenas até grandes decisões que envolve não somente a mim mas também aos que convivem comigo. Vou ler este livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lê sim é bem legal esse livro! Fico feliz que curtiu, se quiser ficar sempre atualizado com os conteúdos que disponibizo é só inscrever seu e-mail no botão "Inscreva-se" no alto da página. Bjs e obrigada pela visita!

      Excluir
    2. Lê sim é bem legal esse livro! Fico feliz que curtiu, se quiser ficar sempre atualizado com os conteúdos que disponibizo é só inscrever seu e-mail no botão "Inscreva-se" no alto da página. Bjs e obrigada pela visita!

      Excluir
  4. Olá, parabéns por o texto, revejo me nele, a minha pergunta é, será que se consegue ultrapassar esse medo? Obrigado pela atenção.

    ResponderExcluir
  5. Olá, parabéns por o texto, revejo me nele, a minha pergunta é, será que se consegue ultrapassar esse medo? Obrigado pela atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá José, sim, é possível. É como eu disse no texto, caso você sinta que esse medo é tão grande que te paralisa, então chegou o momento de refletir se uma ajuda não seria necessária. Eu faço orientação psicológica online e caso queira saber mais mande um e-mail para lorysouzapsi@gmail.com.

      Bjs!

      Excluir
  6. O seu texto me ajudou muito... Tirou um peso do meu coração e eu apenas decidi... Muito obrigada!

    ResponderExcluir