sexta-feira, 27 de abril de 2012

Dicas de como fazer críticas de melhor maneira possível

- Ao fazer a crítica dirija-se sempre a pessoa, excluindo aquelas que não estejam diretamente envolvidas na situação;

- O alvo de sua crítica deve ser o comportamento do outro e não a pessoa em si. Exemplo: nunca diga "você é um irresponsável", pois ninguém é nada, não existe ninguém que seja irresponsável o tempo todo e um ser humano tem qualidades e defeitos, não é bom rotular a pessoa negativamente como se ela se reduzisse a isso. Fale " Naquele dia na festa você bebeu demasiadamente e fez coisas que não eram apropriadas"

- Evite o tom de desabafo ao falar, tente falar de forma firme, mas sem elevar o tom de voz.

- Tente ser o mais objetivo possível na hora de criticar, evite rodeios ou sermões.

- Utilize a estratégia sanduíche para criticar: inicie a crítica apontando alguma coisa positiva do comportamento da pessoa, em seguida refira-se a algo negativo e encerre a conversa com uma nova referência positiva. Esta técnica faz com que o outro não fique tão "na defensiva".

Exemplo: "Fulano, eu sei que você costuma agir de maneira amável em várias situações, porém, naquele dia na festa você bebeu demais e fez comentários agressivos. Na próxima vez tente prestar atenção no que falará. Sei que você consegue, já que costuma ser tão gentil quando bebe menos.

Sei que vocês podem estar pensando que fazer críticas dessa maneira é difícil, mas é tudo uma questão de treino e principalmente fazer a crítica quando estiver mais calmo. Muitos dos meus pacientes treinam este tipo de crítica comigo antes de fazerem "na vida real" ou escrevem um script da crítica antes de falarem com a pessoa.

Lembre-se: Fazer uma crítica desta forma aumenta a probabilidade do outro te escutar, porém não é garantido que o outro irá mudar. A pessoa só muda quando realmente entende a importância daquilo para ela. Porém, sempre é melhor tentar, do que criticar de forma inadequada, o que leva a inúmeros conflitos.

Forte abraço e até a próxima!

P.S: Esse post foi baseado no livro "Psicologia das relações interpessoais" de Almir e Zilda Del Prette da editora Vozes.

Um comentário: