domingo, 24 de julho de 2011

O significado psicológico das doenças: Tendinite

Esse artigo é um resumo baseado no livro "Metafísica da Saúde" , Vol. 3, de Valcapelli e Gasparetto (Editora Vida & Consciência). Gosto muito desta coleção e sempre que tenho a oportunidade posso verificar na clínica como os meus pacientes se identificam com o significado psicológico das doenças descritos nestes livros. Para saber mais detalhadamente sobre esta e outras doenças recomendo a aquisição desta obra.

A tendinite é uma inflamação nos tendões e de acordo com Valcapelli & Gasparetto (2007) a pessoa que sofre desta enfermidade costuma executar suas atividades em um ritmo muito acelerado, podendo ocasionar a lesão por esforço repetitivo (LER). Para estes autores a tendinite ocorre geralmente em pessoas que se sobrecarregam executando atividades sem o devido planejamento e que não compreendem que a seu tempo tudo pode ser feito, sem a necessidade de tamanho estresse.

Para eles a tendinite afeta pessoas que são eficientes, mas não se valorizam, nem reconhecem seu potencial. Elas costumam dar mais importância à avaliação das pessoas sobre o que realizam à satisfação de estarem realizando aquilo que gostam.

As pessoas afetadas pela tendinite esquecem momentaneamente que as atividades que desempenham são aquilo que escolheram fazer nas suas vidas e que estas atividades não podem ser apenas sinônimo de pressão ou autocobrança, mas também de realização pessoal. Mesmo fazendo o que gostam, elas acabam perdendo a qualidade de realizar com prazer as suas funções.

Também de acordo com Valcapelli & Gasparetto a tendinite pode surgir em pessoas que executam tarefas que não suportam mais realizar. Neste caso, suas ações passam a ser automáticas e isto abala o seu equilíbrio interior, trazendo irritação.

Os autores sugerem que é necessário que a pessoa entenda que deve realizar suas ações focando-se no presente, sem ficar tentando antecipar os resultados esperados.

Para mim, Lory Gonçalves, a tendinite é, assim como outras doenças, um aviso que seu corpo dá para que você diminua o seu ritmo e olhe mais para dentro de si. No caso específico da tendinite, é compreender que você deve fazer o melhor que pode naquele momento, sem se exigir demasiadamente. Não será executando suas atividades de forma frenética, sem respeitar seus limites, que você fará que os resultados cheguem no momento em que deseja. Suas conquistas profissionais serão resultado de seu esforço pessoal para alcançá-las, mas também dependerão de uma série de fatores que você não tem controle.

Respeitar o seus limites, entender que as coisas só vão acontecer quando for o momento propício, e que você deve tentar retirar prazer do que faz,  são os caminhos para o alívio da tensão e a conscientização de que seu corpo e sua mente precisam do respeito e descanso devidos. Afinal, seja  qual for o seu trabalho, de alguma forma ele está lhe ajudando a prosperar e ensinando lições importantes para a sua vida.

3 comentários:

  1. Muito interessante! Eu estava buscando a causa da tendinite que me acomete, e nao imaginava que essas fossem as causas! Muito obrigada por compartilhar! Cristina

    ResponderExcluir
  2. para concluir: realmente perdi o sabor pelo trabalho que desempenho, e justamente porque me sobrecarregava. Tentei outras empreitadas, porém, não deram certo. Nao sei se é algum bloqueio meu ou se o universo tentando me mostrar algo... talvez um misto do dois... Agora retornei a desempenhar meu trabalho anterior (trabalho em casa) e estou tentando enxergá-lo de outra maneira, para que não me aborreça, e até que surja uma nova oportunidade de empreendimento. Estou certa? Se deseja acrescenta algo mais, para meu conhecimento, ficarei muito grata. Abraços. Cristina

    ResponderExcluir
  3. Me identifiquei muito com os apontamentos. Realmente eu buscava a valorização dos outros e não imaginava que 15h diárias de trabalho me trariam tamanho dano. Trabalhei usando um braço nas crises mais fortes, com ruptura parcial do tendão, atendendo a uma exigência na empresa da minha irmã, na qual eu fui sempre subordinada a outros funcionários de maior confiança. Tentei tanto obter essa confiança que ultrapassei meus limites.

    ResponderExcluir