sexta-feira, 24 de junho de 2011

Mente aprisionada: o Transtorno Obsessivo - Compulsivo

Muitas vezes temos pensamentos obsessivos que são pensamentos que ficam se repetindo na nossa cabeça. Às vezes, esses pensamentos não param e são sobre coisas preocupantes como germes, perigos ou coisas ruins que podem acontecer.

- Podemos pensar que as pessoas vão se machucar ou se envolver em acidentes.

- Podemos pensar que vamos ser contaminados ou transmitir aos outros germes ou doenças

- Podemos pensar que é “errado” deixar objetos não alinhados ou não organizados de uma determinada forma.

Pode ser difícil deixar de ter pensamentos obsessivos como estes. Como eles são muito preocupantes, podemos nos sentir incomodados ou ansiosos. Em busca de alívio, as pessoas muitas vezes tentar parar estes pensamentos agindo de uma maneira que faz com que se sintam melhor. Estas ações são chamadas de compulsões ou rituais, e incluem coisas como:


  • Lavar as mãos ou as roupas
  • Verificar coisas – como portas, interruptores de luz, janelas.
  •  Fazer coisas (como se lavar ou se vestir) de uma maneira especial
  • Repetir palavras, expressões ou números  um determinado número de vezes


Comportamentos compulsivos como estes podem assumir o controle. Cada dia se torna uma luta e cada vez mais tempo é gasto nestes rituais. Isto é chamado de Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC).
Então, o TOC é uma doença onde a pessoa geralmente tem pensamentos que ficam se repetindo em sua cabeça e executa ações (rituais) para aliviar a ansiedade causada pelos pensamentos.
É um transtorno comum, cerca de 4% da população mundial sofre de TOC, atingindo igualmente homens e mulheres. Não é uma doença rara, chegando a ter maior incidência do que outras doenças, como a asma e o diabetes, que afetam de 2% a 3% da população mundial.

Vergonha dos Rituais

Não é fácil para quem tem TOC contar que possuem ideias e ações repetitivas e desagradáveis. Essas pessoas tem consciência  de que suas obsessões e compulsões são esquisitas e sem lógica, fazendo com que se sintam envergonhadas. Para piorar, muitas vezes familiares e amigos não possuem conhecimento de que se trata de uma doença e que a pessoa não faz os rituais de propósito, mas sim porque não consegue se controlar. É muito importante que a família ajude no tratamento para que a pessoa se sinta mais confiante de que conseguirá superar o transtorno.
Na maioria dos casos de TOC  temos as obsessões associadas as compulsões. No entanto também poderemos encontrar pessoas que só possuem pensamentos obsessivos sem as compulsões. Também há casos onde o portador de TOC apresenta as compulsões sem nenhum tipo de pensamento obsessivo. Nestes casos, os rituais são desencadeados por uma intensa e incontrolável sensação de imperfeição, desconforto e falta de completude. Assim, as ações são repetidas até que a pessoa experimente a sensação de que aquilo que está fazendo está “correto”, “perfeito” e “completo”.


CAUSAS
Não se sabe ainda a causa do TOC. Algumas pesquisas vem apontando para vários fatores, que podem estar presentes separados ou em conjunto, mas os dados não são conclusivos. Exemplos de alguns fatores pesquisados: predisposição genética, situações de estresse, fatores neurobioquímicos (pouca disponibilidade de serotonina no cérebro), infecção por estreptococos beta – hemolíticos do grupo A (febre reumática), fatores psicológicos, etc.

TRATAMENTOS


  • Medicamentoso (antidepressivos)
  •  Terapia Cognitivo – Comportamental


Para a terapia cognitivo-comportamental nossos pensamentos interferem em como vamos nos sentir (tristeza, raiva, ansiedade, alegria, etc) e em nossas ações (comportamentos). Portanto, ela busca a mudança de padrões disfuncionais de pensamento (pensamentos distorcidos, que nos fazem sofrer) para que haja uma mudança também nos sentimentos e ações.

No caso do TOC o tratamento envolve:


  •  Identificação das obsessões e compulsões 
  • Técnica da Exposição e Prevenção de Resposta  - entrar em contato com situações, lugares e objetos que evita e não realizar os rituais que aliviam o desconforto causado pelas obsessões. É importante ressaltar que primeiro a pessoa lista todos os comportamentos compulsivos e vai parando gradualmente de fazê-los, começando pelos mais fácies, até chegar nos que geram maior aflição.
  • Treinamento em relaxamento, respiração e utilização de outras estratégias que aliviam a aflição
  • Identificação e questionamento dos pensamentos distorcidos

Nenhum comentário:

Postar um comentário