domingo, 8 de maio de 2011

A superficialidade das relações na era da internet: quantidade é qualidade?

Essa semana estive pensando numa queixa que sempre escuto, seja dentro ou fora do consultório, sobre como as pessoas podem se sentir sós mesmo em meio a uma multidão.

Penso que a internet e suas redes sociais promoveram um fenômeno interessante: triplicamos nossa quantidade de amigos, mas a quantidade de relações nem sempre quer dizer qualidade das mesmas, considerando que a grande maioria delas são superficiais.

Relações superficiais são aquelas que estabelecemos algum vínculo com a pessoa, mas se precisarmos contar com ela, não será possível, pois não criamos a intimidade necessária para nos sentirmos à vontade para isso.

Dependendo da pessoa, a internet promove afastamento ao invés de proximidade. Para aqueles que sabem utilizá-la de modo a ampliar o círculo social e conseguem transformar "amigos virtuais" em "amigos reais", ela é uma ótima ferramenta. Porém, para aqueles que possuem dificuldade de se autorevelarem, isto é, falar sobre seus pensamentos e sentimentos mais íntimos, sobre suas dificuldades e impasses, a internet acaba  promovendo afastamento, pois estas pessoas não são estimuladas a travar relações reais e perdem bastante com isso.

É somente numa relação não-virtual que aprendemos a lidar com o outro, com a diversidade, porque uma relação é sempre um processo de construção, nem sempre fácil, existindo "altos e baixos", onde o indivíduo é colocado à prova, aprendendo a entender quando é hora de ceder ou quando é hora de manter sua posição, quando é hora de reconhecer que errou, entre outras questões que só podem vir à tona numa relação real.

Uma vez escutei uma frase que infelizmente não me recordo do autor, mas dizia algo assim: "é somente na relação que a gente se humaniza". Resumindo: é somente na relação que a gente se constrói, é no contato com o outro que eu posso entender melhor quem sou eu, através dos feedbecks recebidos das pessoas que convivem conosco e que podem nos dar um parâmetro de quem somos.

Então, nunca esqueçam que quantidade nem sempre é sinônimo de qualidade, e se você se sente só mesmo com muitos amigos (sejam virtuais ou não) pode ser um sinal de alerta de que talvez você esteja fugindo de relações realmente autênticas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário