terça-feira, 26 de abril de 2011

Quer ser feliz? Erre mais!

Em minha prática clínica comecei a observar que meus pacientes sofrem pelos mais variados motivos, porém existe um que me deparo muito frequentemente: a autocrítica exagerada / perfeccionismo.

Autocrítica exagerada é você martirizar-se por coisas que fez ou deixou de fazer, buscando atingir um padrão de exigência muito elevado que você mesmo criou (perfeccionismo).

Não estou dizendo que não devemos buscar nosso aprimoramento, melhorar aquilo que nos incomoda. O problema está em não aceitar que somos seres imperfeitos e nos “chicotearmos” a cada falha, a cada erro cometido.

Quantas vezes, nestes momentos, não falamos coisas terríveis para nós mesmos, fazendo com que nos sintamos muito mal? Aliás, se um amigo nos contasse que cometeu um erro parecido, muito provavelmente seríamos mais condescendentes com ele e diríamos: “Ok, você errou, mas nada adianta se recriminar tanto. Agora, é tentar fazer diferente da próxima vez”.

O título dessa mensagem faz referência ao fato de que é impossível sermos felizes enquanto não pararmos de sermos nossos próprios carrascos, o que reflete uma total falta de consideração conosco.

É importante destacar que ninguém comete um erro que o faz sofrer de propósito e que se erramos é porque ainda não estávamos preparados para fazermos diferente, afinal, se já tivéssemos ao nosso dispor as estratégias necessárias para que não cometêssemos a falha, com certeza as usaríamos. Em alguns casos, a psicoterapia pode ser um recurso para que adquiramos tais estratégias.

Então, na próxima vez que você se perceber tratando-se mal por ter falhado, lembre-se: são os erros que nos permitem crescer porque é a partir deles que temos a possibilidade de mudar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário