sexta-feira, 22 de março de 2019

Fluidez


Muitas pessoas só fazem uma atividade a vida toda, ou ficam em uma determinada função por anos. Isso nem sempre é bom, pois indica rigidez e dificuldade de se abrir ao novo. A ideia de emprego já está cada vez mais em desuso. No futuro é provável que exerçamos várias profissoes e sejamos muito mais fluidos. Rigidez muitas vezes é sinônimo de doença. A pessoa rígida perde a oportunidade de aprender coisas novas e lidar melhor com a frutraçao quando que algo não ocorre exatamente como imaginou.
Sendo assim, permita-se e abra sua mente para outras funções ou simplesmente mude o modo como você trabalha às vezes. Você verá como isso fará uma grande diferença!

quarta-feira, 20 de março de 2019

Você conhece a tricotilomania?

Tricotilomania é uma doença psiquiátrica/psicológica onde o indivíduo sente um forte impulso de arrancar os seus fios de cabelo. Existe uma forte vontade e a pessoa não consegue refrear seu comportamento de arrancar  cabelo (existem pessoas que arrancam outros pêlos corporais, como fios da sombrancelha), depois do ato o sujeito sente um grande alívio, mas essa sensação dura pouco.

Esse impulso pode ter diversos gatilhos , como tristeza e principalmente estresse e ansiedade. Porém, cada pessoa é única e o correto é investigar como ocorre com cada indíviduo.

A terapia cognitivo-comportamental é uma grande aliada no tratamento desse transtorno, assim como é possível, de acordo com a gravidade do caso, que a pessoa necessite tomar medicações para ajudar a conter a doença.

Durante a terapia é trabalhado técnicas esecíficas para o tratamento da tricotilomania e a pessoa pode reduzir ou até eliminar seu comportamento de arrancar seus fios. Sem tratamento o sujeito pode ficar até mesmo calvo, dependendo da gravidade do caso.

E você? Já conhecia essa doença? Ajude a divulgar esse post para que mais pessoas saibam que a tricotilomania existe e tem tratamento.

segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Como melhorar do estresse com a técnica do reflexo calmante

O estresse ocorre quando o organismo precisa se adaptar a alguma situação diferente, mexendo em nossa homeostase, ou seja, no nosso equilíbrio interno.

Muitas vezes em nossas vidas somos colocados à prova e temos de nos adaptar. O problema é que não são todas as situações que conseguimos fazer isso com facilidade, seja porque não lidamos bem com mudanças, seja porque é impossível para nós nos adaptarmos a algo, pois fere intimamente nossos valores pessoais.

Se algo está lhe gerendo estresse, esse é um convite à reflexão: será que eu preciso me adaptar? o que eu posso fazer para conseguir? Nessa etapa é importante olharmos para dentro de nós e entendermos se realmente é melhor se adaptar ou se você deve se afastar da situação estressora. Um exemplo desse último caso ocorre quando temos de lidar com um chefe complicado, que nos assedia moralmente. Nesse exemplo, muitas vezes buscar um emprego em outro lugar se mostra mais benéfico do que a adaptação. Porém, se é uma situação que acontece porque você não está sabendo lidar com o novo, por uma dificuldade que é só sua, então pensar nas atitudes que você precisa tomar para se flexibilizar pelo menos um pouco se faz necessário.

Existem diversas formas para lidar com o estresse, uma delas é chamado "reflexo calmante". Tirada do livro "Como Acalmar o Estresse"(Vito Cancelliere, Editora Vozes) essa técnica diz que temos de primeiro nos conscientizar que estamos estressados, depois pensar de uma forma diferente, dando uma uma outra resposta aos pensamentos que surgem com o estresse. Exemplo: uma pessoa trabalha com encomendas de bolos e uma cliente reclama do bolo que comprou, dizendo que ele estava esfarelando muito. A boleira pode ficar estressada diante da reclamação da cliente, tendo palpitações, suor nas mãos, tremor, etc. Assim que percebe os sintomas físicos, que servem de pista para saber se estamos estressados, ela diz para si mesma "a cliente não ficou tão satisfeita, mas meu corpo está calmo. Essa segunda frase sublinhada é uma frase que pode ser constante, enquanto a primeira podemos aceitar o fato que não somos tão perfeitos como desejamos, sendo impossível agradar a todos os clientes.

Logo acima postarei um vídeo onde falo de forma mais completa sobre o estresse e sobre a técnica do livro mencionado.

Forte abraço!

sábado, 22 de dezembro de 2018

Como é a terapia cognitivo comportamental com crianças e adolescentes?

Como é uma psicoterapia cognitiva comportamental com crianças e jovens?

Muita gente acha que na terapia infantil o psicólogo só fica brincando com a criança sem objetivo algum.

Na terapia com adolescentes e crianças geralmente usamos ferramentas lúdicas, como jogos, brinquedos, tintas ou qualquer outros recursos que nos ajudem a trabalhar com eles suas questões de maneira prazerosa, mas também eficaz.

Afinal se vocês pararem para pensar uma criança ou adolescente nem sempre comunica o que está ocorrendo com eles através do diálogo, como nós adultos fazemos. Por isso, o psicólogo lança mão de várias ferramentas nas sessões.

Na terapia cognitivo comportamental nosso foco é entender o que se passa com a criança/adolescente, investigando quais sentimentos e pensamentos estão trazendo sofrimento para eles, mostrando que podemos juntos mudar pensamentos que não ajudam e que provavelmente estão ocasionando sentimentos ou comportamentos não adequados.

Em 2019 abrirei minha agenda para atender também crianças acima de 7 anos e adolescentes. Estou com saudade de atender os pequenos! Se conhece alguém cujo filho(a) está precisando de ajuda, compartilhe com o responsável essa informação.

Grande abraço!

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Dicas para seu filho dormir melhor!

Fazer um planejamento para hora de ir para cama pode ajudar seu filho a dormir melhor.

A atividade noturna diz ao cérebro que é hora de se acalmar. Quando o cérebro recebe essa mensagem diz ao corpo que é hora de produzir melatonina. Esta nos ajuda a pegar no sono e a dormir a noite toda.

Luzes provenientes da eletricidade podem fazer nosso cérebro se confundir porque é noite lá fora, mas dentro de nossas casas acendemos as luzes, pegamos em celulares, vemos televisão. Pensando que ainda é dia nosso corpo produz menos melatonina.

Por isso a dica é, meia hora antes de dormir, fique com a criança em um quarto que não tenha uma forte iluminação (pode ter um abajur) e estimule-a a fazer atividades que são mais tranquilizantes e relaxantes,  desligando aparelhos eletrônicos.

Exemplo de atividades que seu filho pode fazer sozinho ou, melhor ainda, na sua companhia: jogar um jogo de tabuleiro, montar um quebra cabeça, fazer um desenho, ler um livro...Porém, não esqueça! Nada de eletrônicos !!!

Assim seu filho pode adormecer mais rapidamente e você ainda reforça seu vínculo com ele de maneira positiva!

Gostou desse artigo? Deixe sua opinião nos comentários!

sábado, 15 de dezembro de 2018

Qual a decisão mais difícil que você já teve de fazer?

Na vida nos deparamos com vários momentos onde temos de decidir sobre algo importante.

Existem aqueles que se paralisam com receio da mudança e escolhem não escolher. Podem postergar a decisão, deixando para um momento melhor (que nunca chega).

Também existem pessoas que decidem de forma impulsiva, não levando em conta os prós e contras. Esses podem se arrepender da decisão, justamente por terem escolhido, apenas para se livrar da angústia.

O melhor nessas situações é respirar fundo e analisar os prós e contras de decidir por A ou B. Pegue uma folha de papel e anote todas as vantagens e desvantagens de cada alternativa e reflita com calma. Se puder, faça esse exercício e converse com alguém (pode ser um familiar, um amigo ou seu psicólogo). Na terapia cognitivo comportamental utilizamos bastante essa técnica e vendo "de fora" posso questionar o paciente sobre algo que ele não tinha observado ou ajudá-lo a entender as motivações que estão levando ele a escolher.

E você? Qual decisão mais difícil que já teve de fazer?